Proposta 3: Memória Descritiva

Esta terceira proposta tem como objetivo fazer entender que “A infografia é um novo tipo de discurso que, quando bem construído, mescla texto e ilustração numa unidade de espaço autossuficiente na sua capacidade de informar” (COLLE, 1998). Sendo que esta “amplia o potencial de compreensão pelos leitores” (RIBAS, 2004), que nos nossos dias são cativados mais pela imagem do que pelo texto. Neste sentido, foi-nos pedido para realizar uma infografia com base numa notícia ao nosso critério e uma pesquisa de exemplos.

Inicialmente tive de proceder à pesquisa de infografias e de opiniões de pessoas importantes nessa área (como o Alberto Cairo), para me conseguir inspirar e para escolher um tema, tendo sempre em mente que a infografia que iria realizar tinha de possuir uma “união comunicativa entre um desenho ou uma pintura enfatizados por um texto alusivo” (DE PABLOS, 1999) e que no resultado final as informações apresentadas aos leitores tinham de ser “apreendidas rápida e globalmente”(CERA, 2009).  O tema que escolhi, foi uma notícia publicada no blogue “Fugas” pertencente ao “Público”, na categoria  de “Restaurantes e Bares”, que fala sobre o “Porto Restaurant Week”. Escolhi um tema relacionado com a gastronomia do Porto, primeiro porque na minha pesquisa de Infografias detive principal interesse pelos trabalhos que abordavam a comida e a sua composição, depois porque sou do Porto e penso que devemos dar valor ao que é “nosso”, e em terceiro, porque achei interessante pesquisar quais os alimentos mais típicos e utilizados nesta região. Alimentos esses que eram abundantes e permitiam-me realizar uma infografia diversificada.

Além da pesquisa relativa a infografias alimentares, pesquisei sites receitas típicas do Porto e optei pelas que eram associadas mais vezes como pratos típicos.  Só quando já estava testes para  a minha infografia relativa à gastronomia portuense, é que li a noticia do “Porto Restaurant  Week” e achei que era bastante interessante estabelecer uma ligação do trabalho já realizado com essa notícia.

Na primeira imagem referente aos ingredientes, optei por utilizar azulejos portugueses, porque achei que estavam relacionados com as decorações do restaurantes típicos do Porto e com a nossa identidade, utilizei as cores azul e vermelho porque são relacionadas com os cores dos azulejos, são usadas nas toalhas de mesa portuguesas (bordados), porque são cores integrantes da bandeira portuguesa e porque o azul está ligado à cor do Futebol Clube do Porto.  Apresentei uma listagem dos ingredientes necessários para a realização de categorias diferentes: -para a categoria de sandes, optei pela francesinha; -na categoria de pão, preferi a broa de Avintes; -na categoria de sopa, escolhi o caldo verde; -na categoria de prato principal, achei oportuno as tripas à moda do Porto; -na categoria de sobremesa, decidi-me pelo pão-de-ló.  ordem em que apresento os pratos típicos do Porto, foi escolhida conforme a quantidade de alimentos utilizados na sua coinfecção, ou seja comecei na receita que leva menos ingredientes (o pão-de-ló) e acabei na receita com mais ingredientes (a francesinha).  Para as formas obterem mais destaque, optei pela utilização de retângulos que delimitassem os ingredientes e os azulejos, optei pela forma rectângular porque a identifico com os quadros que estão no exterior do restaurantes, onde está enunciada a ementa. O contorno da forma rectângular não é uniforme, porque a associei à escrita do giz nos quadros das ementas.

Quanto à segunda imagem, que na está na continuidade da primeira, refere-se aos restaurantes do Porto, que além de servirem a comida típica portuense, possuem pratos requintados, que por uns dias vão estar a preços acessíveis a “todos os comuns”, no “Porto Restaurant Week”, por apenas 20 euros. Utilizei as mesmas cores (azul e vermelho) pelas razões anteriores, mas desta vez acrescentei a amarelo, porque é a cor predominante quando “se olha” para uma francesinha. Utilizei também o desenho dos azulejos portugueses (mais à esquerda), o desenho de uma francesinha visto estar relacionada com restaurantes e com o Porto e utilizei também o mapa de Portugal a vermelho, onde está destacado ,a azul, o Porto, para assim se conseguir ler (“À MODA DO PORTO GOURMET”). Nesta imagem ainda está presente o nome do evento, o preço, os dias em que decorre e os restaurantes aderentes. Esta imagem juntamente com a primeira, permite criar uma infografia comum, em que são apresentados os pratos típicos do Porto, os seus ingredientes e onde os pode consumir de uma forma “mais chique”.

O tipo de letra que utilizei foi a Castellar, porque é serifada e elaborada, remetendo-nos ao passado e às nossas origens e também é apelativa como título por ser de caixa alta. Utilizei ainda o tipo de letra Century, que é serifada e de caia baixa por também nos remeter ao passado e aos restaurantes típicos.  Por fim,  utilizei o tipo de letra Myriad Pro, por ser simples, não serifada e de caixa baixa, o que permite a distinção entre o conteúdo e o título e uma não “confusão” de informação e também oferece uma certa sofisticação “clean” associada ao gourmet.

Concluo que a realização desta proposta foi muito útil, porque no meu futuro profissional , porque, “o jornalista precisa  de conhecer as tecnologias e softwares que compõem o processo noticioso digital, não no nível de especialista, mas sim no necessário para saber quais as possibilidade e limitações de cada tecnologia” (ALBERTO CAIRO)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s